QUINTA, 22 DE FEVEREIRO DE 2024|CONTATO

​Ainda analisando o excelente 30º Barômetro elaborado pela UFI (entidade que representa o setor de eventos B2B com foco na geração de negócios a nível mundial) com informações coletadas em 367 empresas organizadoras ...

Sábado, 15 de abril de 2023


Ainda analisando o excelente 30º Barômetro elaborado pela UFI (entidade que representa o setor de eventos B2B com foco na geração de negócios a nível mundial) com informações coletadas em 367 empresas organizadoras de eventos de 56 países diferentes . e o mais recente Barômetro divulgado pela UBRAFE com aspectos do setor na capita paulista, temos uma ótima visão do mercado de eventos com foco na geração de negócios como feiras e congressos...Muito além de uma visão temos números que quantificam o nosso setor....

Vamos aos números....

Se no mundo o setor espera que a rentabilidade retorne a níveis pré pandemia aqui no Brasil não estamos diferentes disso. No relatório da UFI 90% dos promotores acreditam que a rentabilidade do nosso setor estará acima de 2019 no 2º semestre de 2023. E neste número se encontram os promotores da China que até o início de 2023 estava com política COVID ZERO e todos os eventos paralisados por lá. Ou seja ninguém, nem os chineses preveem perdas ou prejuízos em 2023. Efeito “champagne” nos balanços! Saúde...

Já os números da UBRAFE falam que só na capital paulista os eventos B2B poderão ter mais de 12 milhões de visitantes. Isso se equivale ao número de pessoas que vivem na capital paulista. Ou seja, todo mundo terá um evento para “chamar de seu” ! Se pensarmos no impacto econômico destes 12 milhões de visitantes... R$ 3,5 mil em média de investimento individual para que não é do estado de São Paulo (30% do total) e R$ 500 em média para aqueles que vivem no estado de São Paulo (70% do total). Somando tudo dá R$ 18 bilhões de injeção na economia de São Paulo só com os “turistas de negócios”. Se São Paulo representa entre 40% a 45% do PIB nacional podemos estimar que este número no Brasil possa ultrapassar os R$ 35 bilhões só em participantes de eventos com foco na geração de negócios neste ano de 2023.

Ou seja, estes R$ 35 bilhões são indutores de outros muito bilhões que são os negócios gerados por estes “turistas dos negócios”. É um efeito multiplicador impressionante....

Uns falam que representamos 5% do PIB Nacional, outros falam em 10% do PIB

E esse é o meu ponto principal....

Faltam números para quantificar o que o setor de EVENTOS representa na economia do nosso país. Os números acima são de um pedaço da pizza sabor “eventos”. São números do setor com foco em B2B. E todos os B2C? E os eventos sociais? Os religiosos?? São mais de 80 tipos de eventos catalogados.

Tudo somado dá muito impacto na economia. Existe hoje uma iniciativa louvável sendo coordenada pela CBIE (câmara brasileira da indústria de eventos), mas precisamos que as associações coloquem por um momento os seus interesses específicos de lado e todos tenhamos um foco na obtenção de uma ótima e ampla fotografia do nosso setor. Uma foto linda diga se de passagem...

UBRAFE, ABRAPE, ABEOC, ABRACE, AMPRO, ABRAFESTA , UNIDESTINOS , APRESENTA, ALAGEV entre muitas outras associações, só a união faz a força, precisamos nos unir e termos uma visão única dos números e do impacto do nosso setor de EVENTOS, independente do formato e do tipo. E isso é urgente. Sem números NÃO aparecemos. E não aparecer é um problema!

Números e estimativas podem e devem ampliar a visibilidade setorial.

VAMOS AOS NÚMEROS POR FAVOR ! É um chamado....